domingo, 16 de outubro de 2016

terça-feira, 20 de setembro de 2016

words I cannot verbalize

stay with me, this is what I need, please?

É bastante cansativo o processo de ter que, todos os dias, o tempo inteiro, ocupar e desafiar meu cérebro. Essa é a maneira que eu melhor me aproximo do que eu acho que seja minha sanidade mental.
Preencher os meus dias com atividades prazerosas, sair da minha zona de conforto. Esvaziar minha mente de pensamentos negativos e me cercar o máximo possível de pessoas que me façam bem.
Essa última é a mais difícil e já escrevi sobre isso várias vezes e acredito que nunca conseguirei expressar o suficiente o quanto me faz falta a presença de algumas pessoas.


I am outside and I've been waiting for the sun


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

my mouth is dry with words I cannot verbalize

procuro a sensação boa da presença, que muitas dessas vezes acabo acreditando que realmente nem estou mais sozinha repetindo nossas velhas conversas.
já roterizei mil formas um reencontro. em todos os detalhes. 
com direção, fotografia e até edição 

mas sem créditos, sem título, sem cartaz de divulgação e nem atriz principal...

quarta-feira, 13 de abril de 2016

demands to be felt

E nossa, como eu sinto a sua falta.


Lembro das nossas conversas, de como era boa a sintonia e a nossa intimidade. 
De como os diálogos se encaixavam sempre tão bem e o assunto nunca acabava.
Ainda tenho muito assunto, muita coisa pra contar, pra perguntar, muita risada pra dar em meio a lagrimas e soluços, que é oque sempre acontece quando dou risada demais.



Você e eu separados estamos ocupando um lugar imenso no vazio.
Não tem sido fácil seguir com essa falta tão grande pra minha alma, que chega a ser uma parte de mim. 
              

Sinto muito e todos os dias a sua falta.

terça-feira, 15 de março de 2016

we are broken...

I am outside
and I've been waiting for the sun
with my wide eyes
I've seen worlds that don't belong
my mouth is dry with words I cannot verbalize
tell me why we live like this

segunda-feira, 7 de março de 2016

Reprogramando

Então, já que eu me encontro em um estado de solidão e descaso tão grande, vou voltar a escrever mais.



Eu vou além do esforço e da boa vontade. E dou espaço também. 
Todos precisamos de espaço, todo mundo tem problema. Mas já parou pra pensar que o problema do outro pode ser justamente amenizado com a sua presença? Essa presença que você jura não ser boa por que os seus problemas te consumiram de tal forma, que você nem é mais você mesmo? 
Mas pense bem. Todo mundo tem problemas. E dividir, poderia ajudar. 
Eu estou aqui precisando dividir o meu tempo com você. Só isso, um pouco de tempo. Nem quero falar das minhas dores, não quero te contar que estou muito angustiada e qual a razão pra isso. Nem precisa me perguntar tmb, se eu ainda tomo aqueles remédios.
Mas eu sei. 
Você não tem tempo né...





terça-feira, 13 de outubro de 2015

coisas que odeio

palhaço
mágico
baralho
mímica
jogos tipo: banco imobiliário, warZzzZzzzzZzz
o Bruno Mazeo
café com leite
quando falam (de mim) comigo na terceira pessoa